Ministerio das Finanças, Comércio e Economia Azul
República Democratica de São Tomé e Príncipe

 

quarta 23 agosto 2017
Portuguese English French Spanish
Tamanho de texto
terça, 26 novembro 2013 00:00

São Tomé e Príncipe acolheu de 10 a 12 de Setembro último um ciclo de seminário sobre a Diversificação e Crescimento Económico: Experiencias Comparativas de Pequenos Estados Insulares

Estados Insulares3O evento contou com o apoio do Banco Mundial e visou a troca de experiências entre os Pequenos Estados Insulares sobre o desenvolvimento dos sectores de economia, como o turismo, agricultura, pescas e serviços. 

Entre as delegações presentes, estiveram em destaque as dos Barbados e Seychelles, representadas, pelo ex-primeiro-ministro e actual ministro das Finanças, Arthur Owen, e o ministro das Finanças, Pierre Philippe Laporte, respectivamente. O evento contou igualmente com a participação de altos responsáveis do Banco Mundial, do Fundo Monetário Internacional, da Sociedade Financeira Internacional-IFC, consultores das agências internacionais de desenvolvimento, entre muitos outros responsáveis de instituições financeiras nacionais e internacionais, empresários, quadros técnicos, sociedades civis, entre outros. Durante os três dias da conferência foram debatidos vários temas relacionados directamente com o contexto da insularidade numa perspectiva de resiliência dos Pequenos Estados, tais como a construção da resiliência e a melhoria da governação económica, o desafio do desenvolvimento económico, a realização de negócios e a promoção de desenvolvimento do sector privado, os desafios macroeconómicos, o papel do turismo na economia e no desenvolvimento da economia: experiência das Seychelles, dos Barbados e das Maurícias, o turismo como motor de crescimento e desenvolvimento, o papel das indústrias baseadas no conhecimento e serviços nas estratégias de crescimento, entre outros. O evento ficou também marcado por uma sessão especial na região Autónoma do Príncipe, acompanhada pelos ministros do Plano e Finanças, Hélio D’Almeida, e do Comércio, Industria e Turismo, Demóstenes Pires dos Santos, e que contou com a participação da maioria dos convidados estrangeiros, especialmente, do ex-primeiro-ministro e ministro das Finanças dos Barbados e do ministro das Finanças das Seychelles, dos responsáveis do Banco Mundial e FMI para São Tomé e Príncipe, entre outros. Essa sessão especial foi presidida pelo presidente do Governo Regional, José Cassandra, e estiveram presentes todos os membros do Governo e da Assembleia Regionais e deputados regionais da Assembleia Nacional, empresários e representantes da Sociedade Civil, tendo como tema de debate os recursos naturais do Príncipe como potencial para o seu desenvolvimento. Nessa sessão, tal como fizeram em São Tomé, os governantes das Seychelles e dos Barbados aconselharam os decisores políticos do país a enveredarem pelo aproveitamento dos recursos naturais do país, como a sua esplendida beleza natural e a sua privilegiada situação geográfica, para impulsionar o desenvolvimento económico e sustentado à base do turismo e serviços. 

No quadro desse ciclo de seminários sobre a Experiência de Pequenos Estados Insulares também se realizou um encontro com os deputados da Assembleia Nacional que foi presidido pelo presidente da Assembleia Nacional, Alcino Pinto, e em que participaram os líderes das bancadas parlamentares e das comissões especializadas e deputados dos partidos políticos com assento parlamentar. Esse encontro com os deputados visou igualmente a troca de experiências sobre o papel do Parlamento na transformação de uma pequena economia, e foi bastante animado com os deputados de todas as bancadas parlamentares a reconhecerem a necessidade do consenso quando estão em causa os interesses nacionais. Ainda no quadro desse ciclo de seminários houve também um encontro com o sector privado e ONG’s sobre o desenvolvimento do sector privado e a competitividade presidido pelo ministro do Comércio, Industria e Turismo, Demostenes Pires dos santos, e que contou com intervenções do ex-primeiro-ministro e ministro das Finanças dos Barbados, o senhor Arthur Owen, do ministro das Finanças, Pierre Philippe Laporte e do vice-presidente da Sociedade Financeira Internacional - IFC, o senhor Jean-Philippe Prosper.
Importa referir que a sessão de abertura desse ciclo de seminários foi presidida pelo primeiro-ministro, Gabriel Costa, num acto que marcaram presença todos os membros do governo, representantes de diversas instituições financeiras internacionais com e sem residência no país, responsáveis dos diversos organismos do Estado, quadros técnicos superiores do Estado, e convidados.
No seu discurso de abertura, o primeiro-ministro são-tomense falou dos esforços consentidos pelo seu governo para projectar o desenvolvimento do país e das dificuldades que tem encontrado no sentido de levar em diante esses mesmos projectos, excertos que transcrevemos uma parte: “recentemente o Governo que eu chefio adoptou um programa de desenvolvimento ambicioso que, naturalmente, requere um nível adequado de recursos financeiros para a sua implementação. Os recursos financeiros da Comunidade Internacional que muito nos ajudam continuam a ser limitados face às necessidades do país, e lamentavelmente, não temos acesso a um mercado de capitais. Se as receitas de petróleo de que tanto se fala se concretizassem poderiam em parte ajudar o país a ultrapassar alguns dos desafios urgentes e lançar as bases para diversificar a nossa economia e impulsionar um crescimento económico inclusivo. Mas enquanto não se concretizarem o que fazer? Como mobilizar os recursos para financiar o nosso programa? Desde logo, Vossas Excelências poderão facilmente deduzir as razões das nossas angústias, enquanto dirigentes, perante as aflições que florescem nos jardins dos encantos das nossas populações, cuja franja significativa continua a viver em situações muito precárias”.
A conclusão desse seminário, que se realiza pela primeira vez no país, aconteceu num jantar oferecido pelo governo, em que se fez a conclusão e síntese dos trabalhos, e em que o governo, na pessoa do ministro do Plano e Finanças, Hélio Silva, agradeceu toda a contribuição dos convidados estrangeiros no lançamento do desenvolvimento do país.

Ler 8011 vezes Modificado em quinta, 12 dezembro 2013 18:24